Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Malabarista

E essas férias, que tal?

Ma-ra-vi-lho-sas.

Já foram, é certo, mas foram três semanas seguidas em sítios diferentes com os miúdos a tiracolo, numa mistura de piscina, praia e cultura. 

O gaiato deste post anda mais calmo. Quer porque as férias lhe deram mais atenção, quer porque com estes pais não há cá espaço para grandes filmes. O único trauma é a alimentação. Se eu deixasse - e não deixo - comiam salsichas todos os dias a toda a hora. A ver se arranjam uma pancada mais saudável que eu não me importo. Eu também comia polvo à lagareiro todos os dias se me deixassem...

 

Vieram comigo das férias uns bons quilos a mais. Só batata em Espanha, muito Tinto de Verano e a óbvia despreocupação do verão deram nesta tragédia. Tudo bem, eu aguento as consequências. Agora chateia-me o efeito desacelarador da idade. Ó se chateia. Dantes duas semanas de ginásio e tudo voltava ao normal. Agora é preciso um plano de ataque em todas as frentes. Ele é vinagre de cidra em jejum, ele é suplementação alimentar, ele é cremes ultra potentes, ele é fechar a boca a porcarias... vale  tudo. 

 O novo ano lectivo lá começou. A miúda foi para o 2o ano, o gaiato para a pré, e a vossa Malabarista lá está a repetir praticamente todo o 1o ano. Sem dramas. Já dei a mim mesma um prazo de dez anos para terminar aquilo, tudo o que vier a menos é ganho. Professores, alguns já conhecidos, outros dos quais fugi propositadamente, e boas surpresas até agora. O ritmo já descolou - volto a dizer, não percebo como é que há cursos onde a malta ainda anda na fantochada das praxes - com trabalhos, testes e coisas. Muitas coisas. 

 

Profissionalmente estou ainda a meio gás. Há muitos projectos a serem trabalhados nos bastidores, o que é uma fase meio ingrata porque parece que nada acontece e dinheiro nem vê-lo. Os amigos do IEFP é para esquecer, depois dos dramas e das inutilidades a que me subti no início do processo. É impressionante como a ajuda que proporcionam é ZERO. Felizmente sei fazer-me à vida, tenho recusado propostas indecentes - as in faz de tudo e pago-te menos do que ganha uma senhora das limpezas - com um misto de incredulidade e ultraje. Vou-me rindo. O futuro do trabalho vai mudar mais rápido do que as empresas bacocas esperam, e depois vou querer assistir ao desfecho.

 

E é isto. As férias foram ma-ra-vi-lho-sas. Venham mais. Please