Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Malabarista

Somos um país de Taxistas

Segunda-feira é um dia cheio de aulas para mim. Fui sabendo dos pontos altos da manifestação dos Taxistas contra a Uber pela minha bff, que colada à televisão enquanto trabalha (luxos de freelance writer) me enviava whatsapp furiosamente.

 

Eu tinha 18 anos quando me meti pela primeira vez num táxi sozinha. Do Terreiro do Paço para os Restauradores, porque estava atrasada para apanhar o combóio. E a primeira vez chegou para ser alvo de impropérios. Primeiro o clássico bufar por a corrida ser pequena, depois o assédio surreal do típico taxista e de convites impróprios, terminou a enxovalhar-me porque ele não tinha troco. Nunca mais andei de táxi sozinha.

 

Por isso não é de estranhar que a Uber tenha sido a melhor coisinha que surgiu (depois do passe social, claro) desde há muito. Gosto da escolha. Da simplicidade. Da cortesia, da limpeza e da amabilidade. Gosto que tenham assentos para os miúdos, que se preocupem com a temperatura, a música e acima de tudo que me respeitem quando quero falar e quando quero estar calada. 

 

Um Uber não é um táxi. Não é (para já e nos termos da lei) um transporte público. Não o sendo cumpre na perfeição o seu papel. Que seja preciso legislação adequada a um novo modelo de negócio não discuto. Agora que os senhores taxistas precisam de acordar para a vida, aí não há volta a dar.

 

E não são só os taxistas. Na verdade, somos um país de taxistas. Tanta energia reaccionária que podia ser aplicada na inovação e na melhoria própria. É impressionante como é sempre mais fácil culpabilizar os outros do que fazer algo para mudar o que não está a resultar.

 

Desejo que os taxistas (os literais e os outros) evoluam.

A minha sugestão para os taxistas é que durante um dia inteiro circulem gratuitamente. Convidem as pessoas a entrar em carros limpos, com música agradável para todas as distâncias. Esqueçam o futebol, deixem os palitos em casa e abram a porta às senhoras. Quem sabe é um começo para que a confiança se comece a conquistar. 

 

A minha sugestão para os outros... fica para outras núpcias. 

MafaldaTaxiUber.jpg