Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Malabarista

Tragédia mais do que Grega

A vida social dos meus filhos está, para já, a ser gerida pela minha (e do pai) agenda. Sejamos francos, ela tem 6 ele tem 4 e nós temos mais do que fazer do que andar com os putos para trás e para a frente a correr todas as capelinhas dos aniversários.

Mas quando eles falam de forma recorrente de um amiguinho e chega o convite para a festa de anos esta mãe tem coração, pergunta se querem ir, o que é que o amiguinho ou amiguinha gosta, escolhe-se o presente e cumpre-se o dever parental.

Na semana passada ele tinha um destes amigos a fazer anos. Chegou o convite, o jovem informou que o amigo era fã das Tartarugas Ninja (desconfio de haver aqui uma certa projecção, mas está bem... ), dos Avengers e de karaté.

Presente comprado, o almoço de Domingo foi às pressas, a toque de "come tudo para irmos para a festa", e técnicas altamente avançadas de aliciamento, interrompidas por contra-resposta negocial: "mãe, só mais duas colheres está bem?".

Ainda houve tempo para discutir com o Pai a hora da festa, que teimava que era às 16h, e eu às 14h. Fui buscar o convite e voilá, 1 ponto para a Mãe. Era mesmo às 14h.

 

Chegámos com o elegant delay de 8 minutito (atrasados depois da correria basicamente) a ansiar despachar o puto e ir tomar um café descansados só com a miúda. Informei a moça que ele vinha para a festa do amigo, e ela diz-me com um ar surpreso, que hoje não tinha nenhuma festa com aquele nome. Pânico.

 

Está o puto agarrado ao saco com o presente à procura dos amiguinhos, já a começar a descalçar-se, pronto para se atirar para os insufláveis e eu a ver a minha vida a andar para trás. E andou. Efectivamente a festa tinha sido às 14h, mas 24 horas antes. No Sábado.

Scream.jpg

Foi a primeira vez (e espero que a única) que me acontece um episódio destes. Seguiu-se um pedido de desculpas (foi mais implorar perdão) uma explicação  do que aconteceu a um miúdo de 4 anos de braços cruzados e testa franzida, e tentar conter a mega justificada birra que estava prestes a rebentar.

Mas como disse foi a primeira vez, e acho que o meu ar aflito/desesperado/culpado convenceu o gajinho, que até foi condescente comigo e me desculpou com uma festinha na cabeça.